10 anos do recorde que mudou a história
14/11/2017

Um dia que marcou a história do voo livre mundial: 14/11/2007

Este dia 10 anos atrás foi um dia especial para o voo livre Brasileiro e Mundial. Depois de 5 anos caía o recorde mundial de distância livre com parapente - o único recorde importante que faltava para a SOL Paragliders e consequentemente para o Brasil naquele momento.

Fruto de um trabalho de 5 anos contínuos de expedições, desafios e muitas pessoas envolvidas depois de um mês no sertão os pilotos voando SOL Tracer 11 Frank Brown, Rafael Saladini e Marcelo "Ceceu" Prieto voaram naquela data 461,8 km e definitivamente iniciaram uma nova história no sertão brasileiro que vem acontecendo desde então.

O Recorde rendeu publicidade no mundo todo e foi durante muitos anos a marca a ser batida - depois disto o time fruto deste trabalho rendeu mais duas vezes os recordes mundiais e muitos outros. A história foi contada pelo filme Ciclos que foi vencedor dos festivais de cinema de aventura.

Alguns dados dos voos:

- Os 3 voaram juntos praticamente todo o voo. No final, pousaram exatamente no mesmo local.
- A decolagem do primeiro dos 3 foi às 7:20h da manhã.
- O dia amanheceu aberto as 5:30h da manhã . Aos poucos chegou uma massa de nuvens do horizonte e fechou tudo, como a chegada de uma frente fria. Até choveu um pouco.
- Muitos pilotos não decolaram pois acharam que estava ruim.
- A saída em grupo, junto com outros pilotos da competição, ajudou muito, pois com a decolagem cedo a condição é muito fraca.
- As 13h os pilotos já haviam voado 280 km
- As 16h45 ainda em voo, Frank liga para a SOL dizendo que eles 3 estavam no km 423 a 1800 do solo, subindo e com pelo menos 45 minutos de voo pela frente e condições excelentes para continuar o voo e que iriam pousar juntos para dividir o recorde.
- Aproximadamente as 17h45 recorde batido - os 3 pousam juntos conforme combinado 461,8 km.

Parabéns aos 3 pilotos e todos os envolvidos neste projeto de quebra de recordes que vem sendo realizado desde 2002.

Links dos Vôos:

 

Site da Expedição:   http://www.xcnordeste.com.br/

Entrevistas: 

 

SOL Paragliders agradece a todos os envolvidos que ajudaram a construir e alcançar estas conquistas, Fernando Pradi que desenvolveu este projeto de expedições na busca de recordes, André Rottet projetista SOL, André Fleury, Kamira Pereira, Dioclécio Rosendo, Claudia Otilia, os pilotos de todas as expedições  e a comunidade em geral. 





SOL no Desafio Hard Bike - Urubici-SC
13/11/2017

Neste último domingo, 12/11, aconteceu em Urubici - SC o Desafio Hard Bike, um evento com realização da Rumo Adventure e Serra Sul Ecoturismo e apoio da SOL Sports.

Um encontro que reuniu vários amantes da Mountain Bike para uma aventura de 39km de pura adrenalina na linda Urubici. E o dia estava perfeito, sol e tempo bom durante todo o dia. 


 


Parabéns aos organizadores e a todos os ciclistas que encararam este desafio!
  

 
Fotos by Rodolf Oliari
 



Entrevista com o atleta de bike Airton André Stahelin
10/11/2017



Entrevista – Atleta: Airton André Stahelin

Quando você começou a praticar?
R: Comecei a praticar o esporte há 3 anos

Como surgiu o interesse pelo esporte?
R: Eu via amigos meus pedalando e até que me chamaram para participar de pequenos pedais, até que o gosto e a paixão foram aumentando e se tornando hoje em um esporte que não consigo mais viver sem.

Existe alguém/algo que lhe inspira?
R: Minha própria determinação, pois você ver a sua própria evolução muito melhor do que você imaginava, não há sentimento melhor.

Qual o seu melhor e pior momento no esporte?
R :Meu melhor momento é passar na linha de chegada das competições e saber que o dever foi cumprido com muita garra e determinação, focando sempre no bem estar e na qualidade. E o meu pior momento foi em um pedal sozinho, que já era 23h e eu me perdi, e para ajudar ainda mais, furou 2x o pneu, só tinha uma câmara reserva, e a água da garrafinha tinha acabado, um pedal de tristeza mas de grande aprendizado que levo até hoje.

O que você espera para o futuro do esporte?
R: Que as pessoas tenham mais consciência em relação aos atletas, pois vemos tantas mortes no trânsito com ciclistas como vítimas do mesmo.

Qual o seu maior sonho?
R: Ser um atleta de alto nível, e ser reconhecido pelo meu talento e esforço.

Hoje, quais os maiores obstáculos no seu esporte e o que você faz para superá-los?
R: O maior obstáculo é a falta de respeito das pessoas com os ciclistas, tento conscientizar mais as pessoas ao meu redor para que os mesmos também conscientizem outros fazendo para um bem comum.

Nos conte um caso interessante sobre sua vida no esporte.
R: Em um simples pedal de passeio, um ciclista me pergunta o por que que eu estou ali, junto com eles neste pedal devagar e não treinando forte para uma prova. Eu o respondo que estava ali para acompanhar o pessoal e dar uma empurrada no povo que fica para trás, e ele me retrata de que eu sou uma inspiração para ele, pois a força de vontade e a humildade andam e prevalecem lado a lado. Saber que eu, Airton, sou uma inspiração para outro ciclista, faz com que eu não desista tão cedo do esporte e me motiva muito mais.

Você já passou por alguma situação inusitada?
R: No momento ainda não vivenciei nenhuma.

Deixe um recado para quem está começando no esporte.
R: No fundo o sentimento que grita: eu posso, eu consigo, eu não desisto. Não que eu queira provar algo para alguém, mas ser ciclista é ir além dos limites, é se superar, é encarar o vento e a vida de frente, é chegar a lugares incríveis com suas próprias forças, é buscar o topo e aprender no caminho, descobrir que do alto a vista é mais linda, olhar para baixo e agradecer a Deus por ter conseguido, é algo pessoal e não importa as dificuldades o importante é chegar e bem!! Pedalar é demais !!


Saiba mais sobre este atleta: >>> Perfil no Facebook - Página do Atleta

 



Expobike 2017 - O mundo das bicicletas invadiu Timbó
06/11/2017

O maior evento reunindo o segmento de duas rodas aconteceu na cidade de Timbó nos 4 e 5 de novembro no Pavilhão de Eventos Henry Paul.

A SOL Sports esteve presente levando seus artigos do mundo das bikes. Além de vários estandes a feira contou com  muitas atrações, entre elas: exposição de bicicletas antigas, cervejarias artesanais, passeios de caiaque inflável, feira de produtos coloniais, paredão de escalada, bungue jump, bar nas alturas. passeio de helicóptero e encontro de carros antigos espaço kids entre outros. 

Juntamente com a feira aconteceu também o 2º Desafio Vale Europeu de Mountain Bike, que reuniu centenas de ciclistas em um desafio pela cidade de Timbó.

Parabéns a todos os organizadores deste belo evento.





 



Entrevista com o atleta de Parapente Caio Buzzarello
03/11/2017



 
Quando você começou a praticar?
Caio: Minha história no voo livre começou muito cedo, tive o primeiro contato com o esporte aos 5 anos de idade, foi quando começou a paixão pelo esporte.

Como surgiu o interesse pelo esporte?

Caio: Meu interesse pelo voo livre veio por causa do meu Pai, que há mais de 24 anos pratica o voo livre. Foi ele o principal responsável por hoje estar onde estou no esporte.

Existe alguém/algo que lhe inspira?

Caio: Minha principal inspiração para continuar crescendo no esporte é o meu pai, pois se não fosse ele quem sabe não conheceria esse esporte.

Qual o seu melhor e pior momento no esporte?

Caio: O melhor momento para mim no esporte é estar junto com os pilotos e trocar experiências para continuar evoluindo no esporte. O pior é quando não consigo alcançar meu objetivo no voo aonde realizo.

O que você espera para o futuro do esporte?

Caio: Espero continuar nas competições evoluindo e aprendendo com os melhores pilotos da região.

Qual o seu maior sonho?

Caio: Meu maior sonho a ser realizado dentro do esporte é ser Campeão no Campeonato Mundial de Parapente, e Campeão Brasileiro.

Hoje, quais os maiores obstáculos no seu esporte e o que você faz para superá-los?

Caio: Os problemas dentro do esporte são muitos, mas uma das principais é ter uma evolução segura, já que sou menor de idade e toda responsabilidade vai para o meu pai.

Nos conte um caso interessante sobre sua vida no esporte.

Caio: Um caso interessante na minha história do esporte é a idade que comecei a me envolver nos treinos de voo, com apenas 7 anos comecei a fazer meus primeiros voos sozinho no barranquinho de 80 metros.

Você já passou por alguma situação inusitada?

Caio: O fato mais inusitado foi quando não me deixaram participar do Campeonato Brasileiro de parapente deste ano, onde só pude com uma autorização dos meus pais.

Deixe um recado para quem está começando no esporte.

Caio: Minha mensagem para quem está começando no esporte é nunca deixar de evoluir mas sempre visar a segurança que nunca pode ser deixada de lado.


Página do Atleta no Facebook: Caio Henrique



Anterior  2 de 21  Próxima